Em um momento com tantas turbulências para as empresas, as estratégias tecnológicas foram colocadas a prova: Sabemos que este cenário naturalmente voltará a ter um fluxo de negócio mais estável no futuro, contudo, a partir deste momento já observamos novas tendências, com companhias atrelando ferramentas digitais mais avançadas ao seu plano de continuidade para se adaptar aos novos contextos e às novas óticas dos negócios.

E lógico que, dentre as tecnologias que ganharam maior destaque, temos o cloud computing ganhando grande relevância por viabilizar demandas e potencializar processos através de soluções integradas com desktops virtuais, plataformas colaborativas que promovem a troca de informações relevantes e serviços de streaming de informações que garantem o maior controle de recursos.

Este novo cenário garante alta performance e elasticidade, estando à disposição independentemente do ambiente ser público, privado ou híbrido, e se mostrado como uma boa solução também quando falamos em otimização de custos, afinal, extingue processos carregados de licenças de software, consumos de energia, servidores, manutenção, valores embutidos por contarem com servidores dedicados e dependência de recursos de infraestrutura não sustentáveis.

Diante disso, entendemos que o uso da nuvem, que já estava em seu estado evolutivo, agora se faz essencial para a saúde financeira de empresas de diversos setores. A acessibilidade advinda por esta poderosa ferramenta, agora mais do que nunca, promove novas metodologias e processos e garante investimentos mais flexíveis, pontos que fazem a verdadeira diferença frente aos efeitos do coronavírus na sociedade.